AVISO A POPULAÇÃO BRASILEIRA: VAMOS JUNTOS ELIMINAR OS FOCOS DE MOSQUITOS DA DENGUE EM NOSSAS RESIDÊNCIAS. NÃO PODE VIRAR UMA EPIDEMIA EM NOSSO PAÍS.

Aedes aegypti – O mosquito-da-dengue

ANIMAIS

Aedes aegypti é um mosquito proveniente da África e vetor de várias doenças, como a dengue e a zika.

 O mosquito da espécie Aedes aegypti, também chamado popularmente de mosquito-da-dengue, é responsável pela transmissão de várias doenças para o homem, como a febre amareladenguechikungunya e zika. Diante da imensa quantidade de problemas causados, esse mosquito torna-se um grave problema para a população, sendo comuns as campanhas para combatê-lo. → Principais características do Aedes aegypti O Aedes aegypti é um mosquito proveniente da África, mais precisamente do Egito (daí a escolha do epíteto específico “aegypti”).Encontrado atualmente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, esse vetor de várias doenças foi introduzido nas Américas durante as primeiras colonizações europeias. O A. aegypti apresentahábitos diurnos e está bastante adaptado ao ambiente urbano. Como a alta temperatura e umidade favorecem seu desenvolvimento, a proliferação é grande em nosso país, principalmente no verão, quando as chuvas e as temperaturas aumentam. Sua característica mais marcante é a coloração preta com listras e manchas brancas espalhadas pelo corpo. O padrão de coloração confere certa camuflagem ao mosquito, que, normalmente, realiza seus voos em locais com pouca luz e perto do solo. Nos ambientes urbanos, é comum encontrar o A. aegypti em cantos escuros no interior das casas, como sob a cama e embaixo de pias. As fêmeas do Aedes aegypti depositam seus ovos em ambientes fora da água, mas perto dela. Sendo assim, se existe um recipiente acumulando água, o mosquito colocará seus ovos na parede desses recipientes. Quando o líquido atingir esses ovos, ocorrerá a eclosão e terá início o desenvolvimento do Aedes. O mosquito, em condições ambientais favoráveis, demora, em média, dez dias para atingir a fase adulta após a eclosão do ovo.Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 

😉

→ A picada do Aedes aegypti A fêmea do Aedes aegypti é a única capaz de picar o ser humano. Durante o ciclo reprodutivo, a fêmea necessita de sangue para o desenvolvimento dos seus ovos, e é nesse momento que ela transmite doenças. Vale destacar, no entanto, que a fêmea alimenta-se também de substâncias açucaradas, como o néctar, que é o único alimento consumido pelos machos. → Combate ao Aedes aegypti Como o mosquito necessita de água para o desenvolvimento, é fundamental eliminar qualquer reservatório de água parada que pode servir de criadouro para o mosquito. Essa medida é fundamental para que os casos de dengue, por exemplo, diminuam em nosso país. Além da destruição de criadouros, outras medidas podem e devem ser realizadas na luta contra o Aedes aegypti, como é o caso do controle químico (inseticidas) e biológico (espécies que matam ou dificultam o desenvolvimento do Aedes). Nesse último modo de controle, destaca-se o uso recente de uma linhagem de mosquitos machos modificados, que são soltos na natureza para reproduzir-se e transmitir um gene mortal que impede a chegada do indivíduo à fase adulta. Curiosidade:Você sabia que o mosquito Aedes aegypti já foi erradicado do nosso país? No início do século 20, os índices de febre amarela eram alarmantes, o que levou a uma intensa campanha de erradicação. A luta deu resultado e, em 1955, o último foco do mosquito foi destruído em nosso país. Em 1958, conseguimos o certificado de erradicação. Infelizmente, alguns países do continente não conseguiram acabar com o mosquito, o que resultou na sua reintrodução. Por Ma. Vanessa dos Santos

Reservatórios com água parada podem tornar-se criadouros para o mosquito da dengue
Reservatórios com água parada podem tornar-se criadouros para o mosquito da dengue 

Deixe uma resposta

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Fechar Menu